Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No meu reino

Episódios de uma família como tantas outras

No meu reino

Episódios de uma família como tantas outras

Memórias de Londres

Certo dia fiz um daqueles testes meio infantilóides que me mostrou que se eu fosse uma cidade seria Londres. Tenho de concordar! Londres tem tudo que ver comigo. Tem um lado romântico, elegante, nobre e clássico, sendo ao mesmo tempo uma cidade frenética, contemporâneo e edgy

Dizer que Londres tem um magnetismo próprio é um lugar-comum. É uma cidade que facilmente nos prende e que nos leva a querer voltar. Há tanta coisa para fazer em Londres, tantos must see e must do, que é difícil enumerar os locais de passagem obrigatória e as experiências que devemos viver numa visita à cidade. Acima de tudo, Londres prende-nos pela arquitetura e pelo cinzento lúgrebe que pinta o céu...prende-nos pelo sotaque e cavalheirismo sóbrio dos britânicos...prende-nos pela diversidade de povos e dos odores. Há, porém, locais apaixonantes, que nos transportam para coração da cidade, que vai muito além do Palácio de Buckingham ou do famoso Big Ben, típicos cartões de visita da cidade. Para mim, o pulsar de Londres sente-se em Nothing Hill, o bairro maravilhoso, outrora mal reputado, que chegou aos olhos do mundo com o filme da Julia Roberts e do Grant. Está no mercado de Portobello Road, onde se vê de tudo e se sente a cultura de rua, aquela que é mais genuína (e onde se fazem umas compras bestiais). Está nos muses da cidade, onde podemos passar dias inteiros, e nos espetáculos que tem para oferecer. Está na atmosfera das ruas, onde nem nos importamos de nos perder. Está em Covent Garden e nas melodias que nos carregam para tantos lugares. Está no Soho e no frenesim de Piccadilly Circus.  Enfim, é só deixar-nos levar.

Tenho saudades de Londres e confesso o meu desejo de viver um ano na cidade, com o meu bando, obviamente. Enquanto esse projeto não chega, fica a promessa de revisitar a cidade em breve e mostrar às minhas crias este sítio tão especial, onde os senhores usam chapéu de coco e nunca nos podemos esquecer de dizer "please!".

P1030516.JPG

P1030520.JPG

P1030525.JPG

P1030534.JPG

P1030557.JPG

P1030566.JPG

P1030574.JPG

P1030576.JPG

P1030578.JPG

P1030582.JPG

 

P1030584.JPG

P1030585.JPG

P1030652.JPG

P1030654.JPG

P1030671.JPG

P1030679.JPG

P1030693.JPG

P1030696.JPG

 

35 semanas de gravidez

O bebé:

  • O bebé encaixa-se na pélvis e posiciona-se para nascer (embora nem sempre de cabeça para baixo).
  • O sistema gastrointestinal ainda é imaturo e permanecerá assim até 3 a 4 meses após o nascimento.
  • Os pulmões estão maduros e prontos para o nascimento.
  • Cerca de 15% do volume corporal consiste em reserva de gordura.
  • Consegue controlar e manter a temperatura do corpo.
  • O bebé recebe anticorpos da mãe que o protegem de infeções.
  • Começam a formar-se dobras nos cotovelos, joelhos, punhos e pescoço.
  • A placenta representa cerca de 1/6 do peso fetal.
  • O bebé já consegue sentir as carícias feitas no abdómen da mãe, que acha bastante reconfortantes e agradáveis. Massajar a barriga é uma forma muito especial de estabelecer contacto e comunicar com o seu filho

 

A mamã:

  • O seu corpo continua a preparar-se para o parto. 
  • A posição do bebé aumenta a pressão que exerce sobre os seus órgãos internos e a pélvis o que pode causar algum desconforto. A pressão sobre o estômago e os rins podem originar problemas de digestão e aumentar as idas ao WC.
  • O cansaço, as insónias e a ansiedade acumulam-se e aumentam progressivamente à medida que os dias passam e a data do parto se aproxima o que pode afetar a qualidade do sono e a sua disposição. Informe-se sobre o que é expectável acontecer durante o trabalho do parto para se preparar e antecipar questões. Converse com o seu médico sobre todas as dúvidas e questões que tiver. Partilhe as suas emoções com o seu companheiro e envolva-o neste processo.
  • O líquido amniótico renova-se de 3 em 3 horas.

 

Dicas:

  • A partir desta semana, deverá estar atenta aos movimentos fetais devendo registá-los no seu Boletim de Saúde da Grávida. Deve sentir o seu bebé a mexer pelo menos 10 vezes durante o período de 12 horas, a contar das 9 da manhã. Se não sentir movimentos durante 12 horas seguidas, pode ser um sinal de que o bebé está em sofrimento. Neste caso, deve dirigir-se o mais breve possível à Maternidade/Hospital para avaliação do bem-estar do bebé.
  • À medida que a data do parto se aproxima, poderá sentir alguma ansiedade em ter tudo pronto e começar a fazer listas de cabeça. O próprio parto também é motivo para se sentir mais apreensiva, especialmente se está grávida do seu primeiro filho. Aproveite as aulas de preparação para o parto para conversar com outras grávidas e para se informar como tudo vai acontecer. Prepare-se o melhor que puder. Se estiver bem informada sobre o processo físico do parto, enfrentará cada uma das fases com mais tranquilidade e segurança.
  • Os cinco sentidos do seu bebé já funcionam em pleno. Estimule-o através do toque, das massagens na barriga, da música, da sua voz. Apesar de parecer ainda muito cedo, a interação prematura é crucial para que o seu filho se desenvolva de forma saudável e emocionalmente equilibrado.
  • Se tiver um ou mais filhos, reserve alguns momentos para se sentar com eles. Acariciem a barriga, falem com o bebé, observem os seus movimentos. A promoção da ligação emocional dos irmãos com o bebé é fundamental para a sua futura integração no núcleo familiar e para que os irmãos se sintam parte ativa e seguros no acolhimento do novo membro da família.

In http://www.maemequer.pt/