Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No meu reino

Episódios de uma família como tantas outras

No meu reino

Episódios de uma família como tantas outras

34 semanas de gravidez

 

O bebé:

  • O bebé continua a desenvolver o seu sistema imunitário.
  • Os seus movimentos tornam-se mais lentos e amplos devido à falta de espaço no útero.
  • As unhas dos dedos das mãos atingem as pontas dos dedos.
  • Caso o seu bebé não tenha “dado a volta”, ou seja, ainda não se tenha posicionado de cabeça para baixo, o seu médico poderá manipular o bebé através do abdómen para que se vire

 

A mamã:

  • A postura que se vai naturalmente adotando, de barriga para a frente e quadris para trás, não favorece a correta posição da coluna da coluna vertebral provocando dores e desconforto. Este desconforto vai aumentando ao longo da gravidez devido ao aumento do peso do bebé. Para minimizar estes sintomas, procure adotar uma postura adequada, o mais vertical possível, corrigindo a posição sempre que tender a dobrar as costas, evite o aumento excessivo de peso, faça exercício regularmente ou caminhe calmamente sempre que tenha oportunidade, pratique exercícios de relaxamento e evite o uso de calçado desconfortável, demasiado apertado com saltos rasos ou altos.
  • Durante a gravidez o seu peito prepara-se para a amamentação: vai aumentar de tamanho, a aréola ficará mais escura, e as glândulas de Montgomery aumentam. A pele parece mais fina e as veias mais visíveis. O sistema de ductos (canais) aumenta e diferencia-se assim como os alvéolos, lóbulos e lobos.
  • Por volta desta semana, a sua placenta atinge a maturidade. Durante as próximas semanas, começara a envelhecer.
  • O volume de sangue em circulação no seu organismo aumentou cerca de 50% desde o início da gravidez. Agora deverá manter-se neste nível até ao final da gestação.
  • Durante a gestação, o crescimento da barriga altera o centro de gravidade do corpo e, por consequência, a sua postura. Em paralelo, a diminuição da rigidez das articulações da bacia (que se prepara para a dilatação necessária para a passagem do bebé pelo canal de parto) em conjunto com a curvatura para a frente, pode originar dores lombares com frequência e com alguma intensidade.

In www.maemequer.pt

Imagem retirada da internet

Da consulta

Na segunda-feira foi dia de consulta. Foi uma consulta algo longa. Tinha muitas questões para colocar e a ecografia demorou mais do que o habitual, porque queríamos ver se estava tudo bem contigo. Levava um nó na garganta, um estado que nunca mais me abandonou desde o dia que descobrimos a tua hidronefrose. A mamã anda muito angustiada com esta questão, uma angústia que não consegue traduzir por palavras. Na verdade, tenho vivido os piores dias da minha vida e só espero por um final feliz para a nossa história. Foi no meio desta descompensação emocional que contei à nossa GO as coisas que tinha lido na internet, os problemas associados à hidronefrose e os possíveis cenários e levei uma espécie de raspanete!!! Por ter ido para internet, por pôr em causa todas as análises, inclusive o Harmony, por pensar em coisas más. De facto, a internet tem muita informação válida, mas precisamos de saber triar aquilo que lemos. A nossa dra. MJ acalmou a mãe e continuou a desvalorizar este problema, o que me tranquilizou ligeiramente...muito ligeiramente, porque só vou acalmar quando os nossos olhares se tocarem e vir que estás bem. Disse-me que este problema é mesmo muito frequente e, ainda que o ideal é que não houvesse nada que nos preocupasse, há muitas mães a quem gostaria de dar "apenas" essa notícia. 

Sei que sou uma mãe muito ansiosa, muito angustiada, mas não o sou levianamente. Uma gravidez que foi vivida de sobressalto em sobressalto, aliada à minha história de vida fez de mim a mãe que sou. A minha mãe perdeu a minha irmã aos 8 meses de gestação, uma irmã que era muito parecida comigo (a minha mãe quis vê-la) e que a deixou devastada. A minha mãe quase não sobreviveu. Tinha 4 anos e lembro-me perfeitamente da minha mãe deitada na cama, a chorar. São coisas que nunca se esquecem, mas que não quero lembrar...

Mas falemos sobre ti: a  dilatação do teu rim direito aumentou, infelizmente. Fiquei tão triste, tinha esperança que tivesse diminuído. O teu rim esquerdo permaneceu igual. De resto, estava tudo bem. Engordaste, cresceste e mexias-te bastante. Presenteaste-nos com a tua carinha, estavas totalmente de frente. Vimos-te a abrir a boca e a saborear o liquido, com a linguita de fora. Parecias um gatinho! Tens uma boquinha muito bem desenhada e um nariz muito fofinho! Ainda tentamos ver-te a 3D, mas o ecografo estava ocupado. Ver-te aqueceu-me o coração, minha bonequinha!

Para a semana voltaremos a ver-te, que a mamã passará a ter consultas semanais. Vamos continuar a acreditar que amanhã será melhor!

E hoje a mamã conseguiu não passar o dia todo a chorar. Espero que isso te faça sentir melhor, minha little C. Não quero que chegues aos meus braços tristinha. A tua felicidade é tudo para nós.