Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

No meu reino

Episódios de uma família como tantas outras

No meu reino

Episódios de uma família como tantas outras

Da nossa eco...

Querida little C.,

 

No sábado passado, o pai e a mãe foram ver-te mais uma vez. Na véspera, a mamã teve uma noite muito difícil, a ansiedade por te ver não me deixou descansar. Acordámos cedo e às 8h30 já estávamos no hospital, que estava deserto de pacientes no piso da Ginecologia-obstetrícia. A hora da nossa ecografia chegou rapidamente e lá entrámos na sala, com um coração descompensado e à espera de um diagnóstico que não confirmasse o anterior.

Na tua terceira ecografia a médica era, novamente, diferente. Era uma médica experiente e algo reservada. Perguntei-lhe se me avaliaria o colo do útero, dado que se encontrava curto e respondeu-me somente que a minha GO não tinha pedido. Quando lhe disse que media 3 cm disse-me que, dado o avançar da gravidez, esse valor era normal, mas disse-me que devia continuar em repouso. Normal???? Mas tem de estar de cama???? Em seguida, começamos por lhe contar que dias antes a nossa GO tinha observado uma ligeira dilatação dos teus rins e essa questão acabou por dominar toda a ecografia. Antes de ver os teus rins, procurou ver-te a carita, mas sem sucesso: estavas novamente de costas. Depois passou para a análise e medição do fémur e estimou o teu peso: 1992 gramas (e medes 43 cm). Mediu o teu perímetro abdominal e  a tua bexiga, de soslaio. Viu o teu coração, que estava bem e a bater forte e, em seguida, voltou-se para os teus rins. E confirmou...os teus bacinetes renais estão aumentados (7,9 mm; o normal é até 7.0). A mamã gelou e no gabinete instalou-se, subitamente, um silêncio infernal. 

A médica passou ainda algum tempo de volta dos teus rins. Andava com o ecografo de um lado para o outro, sem dizer uma palavra, com uma expressão que foi avolumando o meu desespero. Esteve assim uns minutos, que me pareceram horas, e, no final, informou-nos que no rim direito o ureter também estava dilatado e até lhe parecia que estaria duplicado. De qualquer das formas, o rim está bem formado e a funcionar bem. Ainda a questionei sobre o que poderíamos fazer e o que poderia acontecer, porém respondeu-nos apenas que era muito importante realizar a ecografia quando nascesses e só depois poderíamos pensar em tratamentos. Ainda teve oportunidade de me informar que não analisou os teus órgãos todos, porque nesta altura da gestação já não é relevante. E a ecografia acabou assim...

Saí pior do que entrei, com um nó imenso na garganta e uma dor dilacerante no peito. Achei que ia desabar ali mesmo. Aguentei-me, mas quando chegámos ao carro desmoronei...o pai pegou-me na mão e disse-me que ia ficar tudo bem. E passei a manhã a chorar, a deitar tudo cá para fora. Não queria ficar nesse pranto, queria ser de betão, para te proteger. Desculpa a mamã por não se ter controlado, passaste o resto do dia agitada, mas quero que saibas que o meu amor por ti é tão grande que não consigo pensar que não estejas bem. Estou num colete de forças, meu amor, não posso fazer nada por ti e dava tudo o que tenho para não estares a passar por isto.

Quando chegamos a casa, a mamã enviou um mail ao teu pediatra, que é o melhor do mundo, e contei-lhe tudo o que se passava. A mamã é uma mulher da investigação e da ciência, tem de perceber o que se está a passar e compreender os possíveis cenários. Em menos de 15 minutos tinha uma resposta. O dr. E. explicou-me tudo, tim tim por tim tim, cientificamente. Informou-nos que é uma situação algo frequente e que, normalmente, passa com medicação, sem deixar quaisquer sequelas. Da vasta experiência que tem, só em 3 ou 4 casos foi necessário recorrer a intervenção cirúrgica. Explicou-nos, ainda, que a progesterona, que a mamã tem de tomar para fechar o colo, pode dar origem a falsos positivos para dilatação do ureter, pelo efeito secundário de ser mio relaxante. Garantiu-nos que acompanharia a tua situação de perto e que estaria sempre ali para conversarmos e atuar. Passou-nos, ainda, os procedimentos a que devemos estar atentos quando tu nasceres. Bendito médico! Vais gostar dele...do lobo mau, como se auto intitula! Fiquei um bocadinho melhor ... mas só um bocadinho... 

O resto do dia foi passado com toda a gente a tentar confortar a mamã. Recebemos mimos e presentes. Tu não sabes, mas já tens muitas pessoas na tua vida que te amam e que farão de tudo para te ver bem. Em boa verdade, algumas das nossas pessoas pensam que a mãe está a dramatizar a questão...eu acho que estou apenas a ser mãe. Sei que vou continuar assim, como se tivesse um espartilho a comprimir o meu peito, até ao momento que venhas para os meus braços e possa verificar que está tudo bem contigo. E estará, minha pequenina, a mamã promete que ficará tudo bem.

Foi, concluindo, uma ecografia que procurarei esquecer...se é que isso é possível.